Melhores blefes de pôquer

Blefes no jogo de pôquer

O sucesso no pôquer não depende apenas de uma boa combinação de cartas ou da capacidade de fazer um grande aumento na aposta de seu oponente. Profissionais de verdade controlam com maestria suas emoções e são capazes de blefar insolentes mesmo com mãos inúteis.

O blefe é uma das técnicas de pôquer mais populares, mas o bom domínio do blefe é uma coisa rara. É muito difícil enganar um profissional de pôquer, porque ele sabe calcular as probabilidades e fazer leituras sobre os oponentes.

Para que serve o blefe?

A maioria dos iniciantes investe dinheiro no pote com mãos fortes e médias. No entanto, ao subir os limites, o nível de jogo dos oponentes aumenta. Jogadores experientes perceberão rapidamente que você joga apenas com mãos fortes e deixarão de lhe pagar. Além disso, quando você mostra fraqueza ao fazer uma aposta, os seus oponentes irão bombardeá-lo com grandes apostas.

Portanto, o blefe é necessário para não ser previsível. Nesse sentido, seus oponentes sempre ficarão confusos em relação à sua mão. Blefar no lugar certo trará lucro tanto com mãos ruins quanto com mãos fortes, já que seu oponente tentará pegá-lo com um blefe potencial.

Agora que sabemos para que serve o blefe, vamos nos familiarizar com os exemplos dos melhores blefes do pôquer.

Blefe no pôquer

Um blefe genial foi o de Tom "Durrrr" Dwan no High Stakes Poker

No auge de sua carreira, Tom "Durrrr" Dwan era um dos jogadores mais perigosos tanto no pôquer ao vivo quanto online. Ele era glorioso por sua abordagem criativa ao blefe e, em algumas mãos, estava pronto para gastar centenas de milhares de dólares blefando em várias ruas consecutivas.

Um dos casos mais famosos aconteceu em uma mão contra Barry Greenstein e Peter Eastgate na 5ª temporada do High Stakes Poker.

Greenstein abriu com raise, o que significava que tinha uma mão monstruosa. Ele recebeu um A ♥ A ♣. Nesse jogo com deep stacks, a aposta de Barry foi paga por vários jogadores, incluindo Dwan com Q ♣ 10 ♣ e Eastgate com 4 ♥ 2 ♦.

A as cartas 2 ♣ 10 ♦ 2 ♠ apareceram no flop, trazendo uma trinca para Peter Eastgate. Ele fez um check, mas Barry investiu $10 000 com seus ases. Dwan aumentou para $37 300 e transformou seu top pair em um blefe. Eastgate e Greenstein pagaram e, como resultado, o pote atingiu a marca de $133 500.

Um 7 ♦ veio no turn. Depois de dois xeques dos oponentes, Dwan decidiu apostar $104 200. Em resposta a isso, Eastgate deu fold em sua melhor mão com 90% de vantagem! Após alguma deliberação, Greenstein fez o mesmo e desistiu de um par de ases.

Esta mão é considerada o maior blefe da história do poker, porque Dwan estava totalmente ciente de sua decisão. Ele sabia que a ligação de Eastgate significava a presença de algo em sua mão. Ele também sabia que Greenstein quase certamente tinha um overpair, ases ou reis. Além disso, Dwan também presumiu que seria capaz de forçar seus dois oponentes a desistir. Foi uma mão de gênio.

O blefe de Phil Ivey contra o blefe de Paul Jackson

Phil Ivey é outro jogador conhecido por sua extraordinária astúcia e habilidade de fazer leituras nas mãos dos oponentes. Ele demonstrou um blefe notável em várias ocasiões, mas sua mão mais notável aconteceu em 2005 no torneio Monte Carlo Millions. No heads-up deste evento, Ivey lutou contra Paul Jackson pelo prêmio principal de $1 000 000 e a sua vantagem era de 4 para 1.

Jackson abriu com um limp com 6 ♠ 5 ♦ e Ivey deu um check no BB com Q ♥ 8 ♥. As cartas 7 ♣ J ♣ J ♥ apareceram no flop.

Foi um bom flop para Ivey tentar roubar o pote, então ele decidiu apostar. Jackson farejou um rato e fez um novo aumento. No entanto, Ivey provavelmente percebeu que seu oponente não tinha uma mão decente. Phil fez um re-raise blefando da aposta de seu oponente.

Ambos os jogadores tinham “ar” e suas apostas tornaram-se insanas. Jackson fez outro re-raise. Depois disso, Ivey perguntou ao oponente quantas fichas ele tinha. Quando obteve a resposta, Phil percebeu que Jackson seria capaz de recuar. Ivey fez 5-bet all-in e forçou Jackson a desistir de suas cartas. Como resultado, Phil ganhou um grande pote.

Haxton blefou contra Ryan Daut

Isaac Haxton jogou contra Ryan Daut em um heads-up no PokerStars Caribbean Adventure 2007. Naquela época, Haxton era um dos jogadores de pôquer online hiperagressivos, que era capaz de atacar seus oponentes com uma ampla gama.

Ryan abriu com um limp com 7 ♣ 5 ♠ e Isaac fez check no BB com 3 ♦ 2 ♦. Q ♥ 4 ♥ A ♣ veio para o flop. Haxton fez check novamente e Daut fez uma aposta. Isaac pagou com um straight draw, mas sua mão não era substancial, como a de seu oponente. Muito provavelmente, depois desse call, Isaac planejou blefar em uma das próximas ruas.

Um K ♦ veio no turn, o que não melhorou as mãos dos jogadores e ambos deram check.

Outra Q ♣ apareceu no river, o que também não melhorou suas mãos. Isaac Haxton apostou 700 000. Ryan decidiu fazer check e mostrou sua fraqueza no turn, pois tinha poucas mãos em seu range que poderiam fazer qualquer combinação com essa carta do river.

Esta mão pode terminar após a aposta de Haxton, mas Ryan investiu 2 000 000 no pote para impedir o bluff de Isaac. No entanto, isso não o confundiu e Isaac foi all-in forçando Daut a desistir com 7-high.

Esta mão é semelhante à anterior com Phil Ivey, mas a ação aconteceu em várias ruas e Isaac colocou o barril decisivo com 3-bet no river. Foi um excelente desempenho.

Qual é a melhor hora para blefar?

A resposta é simples: você deve jogar pôquer por blefe quando houver uma grande probabilidade de seus oponentes desistirem de sua aposta.

No entanto, a compreensão desse processo só pode vir com a experiência. Quanto mais você joga pôquer, melhor sentirá seus oponentes e seus estilos de jogo, além de antecipar suas decisões futuras.

Ler os livros e artigos sobre pôquer o ajudará a entender o jogo e a aplicar com sucesso uma técnica como o blefe.

Não existem regras rígidas para o blefe, pois cada mão no Texas Hold'em é única e existem muitas maneiras diferentes de jogar cada mão inicial. A experiência é a melhor maneira de encontrar os lugares certos para blefar.

Avaliar o material:
- material excelente
- material ótimo
- material bom
- material ruim
- material horrível